• João Vitor Soares

Quer aprender sobre marketing? Estude filosofia

Vez ou outra tiro uma hora do dia e assisto uma palestra ou alguma entrevista de algum desses pensadores contemporâneos. Aqui vou escrever um pouco sobre o que esses caras me ensinam e como eu acabo aprendendo sobre marketing.

Escola de Atenas por Rafael Sanzio, séc. XVI. Pintor do movimento renascentista na Europa. (Foto de domínio público)

Desejo, sucesso e felicidade


Luiz Felipe Pondé diz que nossa sociedade é líquida e imediata, porém, ao mesmo tempo, também é cada vez mais apaixonada pelo bem estar e pela comodidade que a cerca. São bilhões de pessoas que desejam mais, muito mais, de forma eficiente e com o conforto máximo. Também há pensadores que me ensinam bastante sobre o sucesso e a felicidade. Clóvis de Barros Filho é um desses. O sucesso na biologia, diz ele, é estar adaptado ao ambiente em quanto espécie, já o sucesso da vida social parte da satisfação de cada indivíduo com seus próprios objetivos, desejos e ambições que são mais ou menos alcançados ao longo da vida.


A felicidade é um estado emocional do indivíduo, acontece quando estamos em um momento da vida que vale por ele mesmo. Pode se dizer que quando alcançamos um objetivo, e temos sucesso, esse momento se traduz em felicidade.


Mas como emoções tão individuais se relacionam com algo como o marketing? O trabalho do marketing é analisar como o desejo, a felicidade e o contexto de um publico-alvo influencia um indivíduo desse mesmo público a comprar um bem ou serviço de uma empresa, ou mesmo uma empresa a comprar de outra empresa.


O uso dessa análise do mercado permite que o empreendedor alcance mais facilmente seus clientes desejados e ainda consiga fidelizá-los. Ou seja, se a empresa atendeu a necessidade de um cliente por meio de algum serviço ou bem de consumo, é porque o marketing realizado pela empresa permitiu a essa mesma empresa agregar valores ao produto, além de agregar também a necessidade que está por trás da necessidade.


E o que é a necessidade que está atrás da necessidade?


Explico melhor num exemplo simples sobre a comida: ninguém come só porque está com fome, pois, comer pode ser, além de útil, muito prazeroso, divertido ou tradicional em determinada época do ano. Então, a necessidade de ir ao restaurante pode não ser apenas utilitária, mas um momento de felicidade de um casal, por exemplo.


Se quer mais dicas de marketing assine nosso blog nesse link e receba por e-mail nosso conteúdo mensal de marketing!


Também recomendamos muito o conteúdo dos filósofos Luiz Felipe Pondé e Clóvis de Barros Filho, ambos possuem palestras gratuitas no YouTube!


Gostou? Compartilhe e comente aí sua opinião!

Produção fotográfica para gastronomia, retratos, moda, produtos e arquitetura.

 

Brave Studio.