• João Vitor Soares

Sombra e luz: antes da cor

Acho que pra explicar sobre cores, luz e sombra, seria mais fácil compreender o universo antes. A fotografia tem conceitos básicos, o suficiente para usar a ferramenta chamada "câmera", porém, esses conceitos não são o suficiente para entender mais profundamente a grandeza das cores.


Me atento a um exemplo inicial. Sabemos que não vamos enxergar cores num quarto escuro, é necessário que tenha algo iluminando o quarto para que possamos ver o que tem nele: a parede branca, o guarda-roupa marrom, a estante preta, a cortina cinza, a cama vermelha. É necessário uma fonte de luz natural ou artificial.

Jarro decorativo (Foto: João Vitor Soares / Artista: Marilzete Gomes / Serra, Espírito Santo)

Vejamos a luz artificial, por exemplo: recebemos energia na maioria das casas no Brasil através das empresas que transformam a energia do movimento da água de um rio em energia elétrica que é distribuída pela rede-elétrica, assim, iluminando o quarto artificialmente. Já a iluminação natural do universo funciona de maneira parecida: o Sol, por exemplo, só emite luz porque está constantemente queimando hidrogênio. A luz vem de um gasto, seja por cinética (movimento), seja por combustão (queima), ou seja de maneira nuclear, a luz só será emitida se houver algum tipo de gasto energético.


Mas vamos observar a luz do Sol. A luz solar, sem interferências naturais ou artificiais, é considerada uma luz branca e neutra, pois não é tão quente, amarelada, e nem tão fria, azulada, entretanto, se a luz solar é branca então por qual razão ela fica laranja no amanhecer ou anoitecer? A explicação desse fenômeno é justamente climático: é a atmosfera terrestre que modifica a luz do Sol embaçando-a com suas partículas de gás mais ao amanhecer e anoitecer do que ao meio-dia, horário em que a luz solar atravessa mais diretamente a atmosfera, essa modificação natural resulta na luz laranja. É um processo químico pela natureza do Sol, e físico pela natureza da Terra.

Por do sol no cerimonial aberto (Foto: João Vitor Soares / Cliente: Cerimonial D'Eventus / Serra, Espírito Santo)

Outro exemplo interessante de luzes coloridas é a comemoração do ano-novo. Cada fogo-de-artifício possui elementos químicos próprios que quando queimados resultam em chamas de diferentes cores, a luz da chama será da mesma cor.


É claro, o fator principal é o sistema de visão humana, pois com ela notamos duas possibilidades da luz: a emitida e a refletida. Se nas trevas não vejo nada, então que se encha de luz! (Mas, quanta luz?).


E como recomendação de conteúdo deixo esse documentário incrível:


"Luz, Escuridão e Cores - Teoria das Cores de Goethe"

https://www.youtube.com/watch?v=hhqhDaHALBk

-


Para produção fotográfica profissional, entre em contato:

Celular/Whatsapp: +55 27 99638 6745

E-mail: jvsoaresdelima@gmail.com

Brasil, Espírito Santo

Produção fotográfica para gastronomia, retratos, moda, produtos e arquitetura.

 

Brave Studio.